Perguntas

Para Imóveis – O valor a segurar deve corresponder ao custo da reconstrução, dum imóvel semelhante tendo em conta o local de implantação, com excepção do valor do terreno. Para Mercadorias – O valor a segurar deve corresponder ao seu preço de aquisição (acrescido de custos de transporte e alfandegários), ou, no caso de se tratar de produtos fabricados pelo segurado, ao valor dos materiais transformados e/ou incorporados acrescidos dos custos de fabrico. Para Mobiliário e Equipamento – O valor a segurar deve corresponder ao custo de substituição dos bens, pelo seu valor em novo, deduzido da depreciação inerente ao seu uso e estado. Para a cobertura de Riscos Eléctricos, o valor a segurar deve corresponder ao valor dos equipamentos que estejam sujeitos a esse risco, ou seja, dos bens, instalações e máquinas, em cuja construção a parte eléctrica ou electrónica entre na composição dos mesmos.

A subscrição das coberturas da Protecção Complementar é totalmente livre. Pode subscrever todas, pode só subscrever uma, pode subscrever várias, enfim, pode construir a sua cobertura como quiser.

É uma pergunta que só poderá ser respondida aquando da análise efectuada pela NOSSA no acto de subscrição. Há algumas actividades que pela gravidade de risco e frequência de acidentes a que habitualmente estão sujeitos que a sua aceitação poderá estar condicionadas à existência de meios de protecção, sejam humanos ou mecânicos.

É uma situação a analisar, mas habitualmente não são aceites seguros temporários para esta modalidade de seguro.

Para obter resposta só consultando os serviços da NOSSA ou os seus mediadores e corretores, pois o prémio é calculado em função do tipo de comércio e mercadoria, do local de instalação, dos meios de protecção e prevenção existentes, do valor a segurar, enfim um conjunto de variáveis que não permite a sua indicação prévia.

Algumas coberturas estão sujeitas à aplicação de franquia que será deduzida ao valor apurado como indemnizável.